Monthly Archives: Maio 2012

A escola da vida

Jorge Fiel explica-nos hoje no JN que quem quiser ser competitivo hoje em dia tem de estudar e aprender sempre ao longo da vida. Se bem que o objectivo da crónica seja expor o contraste entre os bons exemplos, na Universidade do Minho; e o caso em que certos alunos estudavam para juiz, e num exame foram apanhados a copiar, como resultado desse acto, todos sem excepção ficaram com 10. Compensando os maltrapilhos, e injustiçando os trabalhadores.

Anúncios

Chocante!

Segundo Paulo Morais, as parcerias-público-privadas não vão ser revistas por este governo, ainda para mais com ordens da troika nesse sentido!

As contas reais do nosso país

A ver o post de Helena Sacadura Cabral sobre as estatísticas da realidade do nosso país, em que afirma que o pior lugar para ser agora, é ser tecnocrata e não ideólogo.

Justiça e política

Marinho Pinto na crónica de hoje aponta que a justiça está a caminhar no sentido do liberalismo. Segundo ele, o governo está a apostar na degradação do serviço para que as pessoas recorram cada vez mais ao privado, para que sejam feitos cada vez mais negócios privados. E aponta que este governo tem uma agenda ultra-liberal e que isso não pode ser feito, tal como fez no sector da saúde.

Boa notícia!

Soube por Fernando Santos que o Governo português pretende cobrar impostos pelas rendas milionárias de algumas empresas grandes, barões do regime. Na ordem dos 5%, o que representa uma receita na ordem dos 1800 milhões de euros até 2020. O problema é que a reacção principalmente desses sectores não se vai fazer esperar, e que o nosso Álvaro já disse que não cede a chantagens, logo se verá!

Publicidade e acefalia

Vai passar brevemente pela televisão um anúncio sobre a crioconservação de células estaminais. Todavia até aqui seria de elogiar este novo tipo de negócio, marca de empreendorismo, contudo o que é relevante nesta situação é o modo como o spot publicitário é feito. Fala-nos de uma chantagem sem sentido obrigando o consumidor a comprar escusadamente, o que já de si não é novidade neste ramo, todavia faz chantagem emocional a quem assiste.

Portanto devem-se fazer as seguintes observações: este negócio empreendedor não é brilhante, pois as células em crioconservação duram apenas 20 anos, o que não abona em favor. E que com certeza este anúncio se aproveita das grandes massas acéfalas, que não percebem o factor supracitado.

A propósito do europeu (2)

Falemos agora da Holanda do seu estatuto e presibilidade, das individualidades da selecção, e do caso especial de Ibrahim Affelay.

Sim à troika ou não?!

Boa crónica para repensar a esquerda!

Retrato exacto do desemprego

Este é o contexto: há, oficialmente, um milhão e vinte e uma mil pessoas desempregadas (819 mil contabilizadas pelo Instituto Nacional de Estatística mais 202 mil que foram consideradas inativas, estando embora disponíveis para trabalhar). É uma brutalidade, um rolo compressor para milhares de famílias, uma gigante bola de ferro que destrói tudo o que apanha pela frente. Contas feitas, a cada dia que passa mais meio milhar de portugueses ficam desempregados.

O INE conta-nos a realidade aproximada do desemprego em Portugal porque o Instituto de Desemprego anda por volta dos 500 mil, 600 mil. Sabemos também que as medidas de austeridade instalarão uma realidade totalmente diferente, em que será muito difícil nascerem novas empresas.

E que este será o estado normal da economia, com um desemprego nos 15%, e em que não voltaremos ao desemprego dos gloriosos anos 90. 

 

A propósito do europeu

Como Miguel Sousa Tavares já antevia, a televisão prepara-se para nos presentear com toneladas de patriotismo saloio, ontem foi a história do Miguel Lopes e o casamento adiado. Todavia ainda há jornalismo que merece referência, o caso de uma resenha da equipa da Dinamarca com os seus pontos fortes e fracos, e o retrato psicólógico de Nicklas Bendtner.