Category Archives: Futebol

Grécia, futebol e economia.

A Grécia em termos futebolísticos é joga apostando na austeridade, o que lhe traz superavits nomeadamente nos jogos com a Rússia e com Portugal. Muito bem dito e observado, futebol austeritário aposta na contenção.

Agora outra coisa é fazer do próximo jogo com a Alemanha uma questão pessoal, isso não lhes adianta de nada pois vão perder, acabando por se humilhar ainda mais. Vejam o que eu lhes digo!

Morreu Manuel Preciado

Manuel Preciado treinador na última época do Sporting Gijon, e que se preparava para uma nova aventura no Vilarreal na segunda divisão espanhola, morreu deixando Mourinho despadaçado. Este foi para Mourinho um dos seus mais caústicos adversários na sua aventura espanhola, e que com o passar do tempo se tornou seu amigo, devido principalmente a uma doença grave de Preciado que os juntou.

Preciado morreu, mas fica com ele o mito, o mito de inimigo de Mourinho, que se tornou seu amigo. Mas acima de tudo fica o mito da rivalidade entre eles, porque Preciado quando inimigo de Mourinho, era muito duro com ele.

Low é especial

Sou fã do seleccionador da Alemanha, Joachim Low. Já o era, mas fiquei mais convicto quando Low referiu que o que importa de Portugal é o jogo que fez contra a Espanha, do que contra a Turquia. Isto impressionou-me, pois mostra que este seleccionador trabalha, e talvez mais do que os outros. Além disso, a minha aposta para o vencedor no europeu é mesmo a Alemanha.

A propósito do europeu (2)

Falemos agora da Holanda do seu estatuto e presibilidade, das individualidades da selecção, e do caso especial de Ibrahim Affelay.

A propósito do europeu

Como Miguel Sousa Tavares já antevia, a televisão prepara-se para nos presentear com toneladas de patriotismo saloio, ontem foi a história do Miguel Lopes e o casamento adiado. Todavia ainda há jornalismo que merece referência, o caso de uma resenha da equipa da Dinamarca com os seus pontos fortes e fracos, e o retrato psicólógico de Nicklas Bendtner.

Um jogador muito barato

Freddy Guarin sai do Porto a preço de saldo, por 13,5 milhões de euros. Freddy Guarin é um jogador de grande categoria, muito resistente e talentoso, o seu valor no mínimo andaria pelos 25 milhões. É uma pena que o Porto não rentabilize jogadores como deve ser.

Desrespeito pelo mérito

Acho incompreensível que os seleccionadores portugueses não convoquem jogadores que merecem a ida à selecção, porque jogam em clubes pequenos. Vejamos por exemplo o caso de Rúben Micael, que foi convocado em detrimento de Hugo Viana, ou por exemplo João Tomás, que já sabia que não tinha hipóteses de ir ao europeu, no início da época. Nas grandes ligas como a espanhola, a francesa, inglesa e italiana, jogadores de clubes mais pequenos têm hipóteses de ir à selecção. Vejamos por exemplo o caso de Robert Green do West Wham, clube da 2ª divisão, ou de Leighton Baines, defesa esquerdo do Everton. É incompreensível sr. Paulo Bento, Miguel Lopes e Custódio já jogaram em clubes como Porto e Sporting, o mesmo se passou com Rúben Micael, e essa atitude acima de tudo deprecia o estatuto da nossa liga, e dá mostras de algum caciquismo por parte dos seleccionadores nacionais.

Eu acredito em Falcão

Toda a gente dizia que Falcão quando se mudou para Madrid daria um passo atrás na carreira, eu pelo menos não acreditei nisso porque estive atento às declarações do jogador, na altura da transferência. Ele disse como já se sabe que a mudança para Madrid não era um passo atrás, mas além disso, o que me fez acreditar nas palavras do jogador, foi que ele acreditava no que dizia. E lá está, depois de uma época em Espanha Falcão mostrou que é um jogador de craveira mundial, e que só está atrás de Ronaldo e de Messi.

Porque nem sempre a carreira de um jogador deve-se fazer em linha recta, ou melhor não se deve fazer sempre o que os outros fazem. Falcão fez isso, porque foi atrás à procura de outro desafio, e Falcão melhor do que ninguém gerirá a sua carreira com grande brilho, aposto nisso!

Algumas dicas já antigas para melhorar as finanças do futebol em Portugal

A crónica de Luís Sobral sobre a questão dos salários em atraso e a União de Leiria apresenta alguns pontos que gostava de ver divulgados. Que João Bartolomeu é um cromo do futebol, e defende o indefensável, que é a sua responsabilidade na situação. Os jogadores que rescindiram contrato têm razão no que fizeram porque o que o público sabe, é muito menos do que realmente se passa. E os jogadores da União de Leiria que jogaram no Domingo devem receber o nosso respeito e admiração.

Todavia a parte mais importante no artigo são as sugestões já de si antigas que Luís Sobral levanta. Primeiro, os clubes devem diminuir a despesa, pois o mercado futebolístico português não dá para grandes loucuras. Segundo, a liga deve ser pacificadora nestas situações. E por último devem-se inventar mecanismos eficazes de verificação sobre a condição económica dos clubes, em vez de mecanismos caciquistas que existem actualmente.

Uma explicação plausível para o silêncio de Mourinho

No vídeo que vos apresento do site MaisFutebol um comentador tenta explicar os silêncios de Mourinho através de guerras internas pelo poder dentro do clube merengue. Todavia penso que não se passará assim. Acho que Mourinho no duelo direto de mind games com Guardiola perdeu e que como o bom senso manda, Mourinho retirou-se porque nada havia a fazer. Porém nos últimos dias o treinador português lançou um ataque a Guardiola afirmando que este sabia no fundo a razão de ganhar tantos troféus. Um ataque cirúrgico e bem dirigido, contudo Guardiola não acedeu a responder a este ataque, por duas razões: uma, que não lhe convinha, pois o ataque foi bem dirigido; segundo porque se vem à baila da imprensa notícias anti-sistema, o sistema poderá ficar em perigo, e as próprias pessoas deixarão de se interessar tanto por futebol.

Todavia penso que Mourinho calou-se porque sabe que nos mind games padrões que fez até aqui, com o Barcelona não surtem resultado e que uma espécie de guerrilha como Mourinho faz, aparecendo pouco e bem, e revelando a conivência do clube catalão com as elites do futebol, podem surtir o efeito desejado.

Esperemos que esta nova espécie de mind games resulte já o seu efeito hoje!

PS: Mourinho genericamente quando ganhou um troféu fê-lo de forma indiscutível, como por exemplo as duas champions ganhas pelo Porto e pelo Inter de Milão. Assim como os vários campeonatos por onde passou. Todavia quando o Barça ganha, há sempre maltrapilhos por trás!